° C

AGÊNCIA DE DEFESA E FISCALIZAÇÃO AGROPECUÁRIA DO ESTADO DE PERNAMBUCO
GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO

Sanidade Animal

Programa Estadual de Sanidade Equídea

Sanidade Animal

Programa Estadual de Sanidade Equídea

O Programa Estadual de Sanidade dos Equídeos tem como objetivo prevenir, controlar ou erradicar doenças dos equídeos. As principais doenças controladas pela Adagro são o Mormo e a Anemia Infecciosa Equina.

Mormo

O mormo ou catarro de burro é uma doença causada por bactéria e ataca todos os equídeos (cavalos, jumentos e burros). Segundo o Escritório Internacional de Epizootias, esta enfermidade também ataca o homem e 95% dos casos levam a morte. Não há cura e nem vacina para esta doença.

A doença é de caráter crônico podendo nos burros e jumentos apresentar a forma aguda, onde aparecem rapidamente os sintomas. Nos cavalos prevalece a forma crônica, onde os sintomas demoram a aparecer.

Os animais que não apresentam sintomas são os grandes reservatórios da doença nas criações de equídeos.

- Forma aguda respiratória: febre alta, tosse e descarga nasal com feridas nas narinas, podendo ocorrer feridas e caroços nos membros e abdômen;
- Forma crônica respiratória: mais comum nos cavalos, podendo causar uma pneumonia crônica acompanhada de feridas na pele dos membros e na parte interna do nariz;
- Forma cutânea: os caroços e feridas aparecem mais na região interna dos membros e pode aparecer pus no local. A cadeia gangliomar pode estar aumentada e sensível.

Transmissão: Contato direto com pus que sai das feridas e catarro das narinas do animal doente e ingestão de água e alimentos contaminados com catarro de animais doentes.

Prejuízos: Baixo rendimento para o trabalho, impedimentos da circulação, dentro e fora do Estado e da participação em vaquejadas, feiras e exposições. Os animais doentes deverão ser sacrificados.

Lembre-se:

- Antes de comprar um cavalo consulte um médico veterinário e só feche o negócio após a realização do exame e se o resultado for negativo;
- Por esta doença acometer equídeos e seres humanos, ela deve ser combatida com a eliminação dos animais doentes;
- Os cães e gatos podem adoecer caso alimente-se com carne contaminada.

Diagnóstico do mormo: O diagnóstico clínico não é conclusivo, pois existem outras doenças semelhantes, como o garrotilho. Os exames para diagnóstico são as provas de fixação de complemento, Elisa e o western blotting, que tem validade de 60 dias.

Anemia Infecciosa Equina

A anemia infecciosa equina (AIE) é uma doença causada por vírus e ataca todos os equídeos (cavalos, jumentos e burros), de qualquer idade ou sexo, e que pode causar a morte desses animais. Não há cura e nem vacina para a doença.

A doença tem caráter crônico e pode ser reconhecidas pelo médico veterinário com a ajuda do exame de laboratório específico. Animais podem ter aparecia de sadios, mas serem portadores do vírus da doença e podem transmiti-la a qualquer momento. Já os animais que com alguma frequência apresentam sinais de anemia, ou seja, fraqueza, falta de apetite, baixo rendimento esportivo e, às vezes, febre também podem estar contaminados. Os animais visivelmente doentes, com febre, anemia, edemas pelo corpo, muita fraqueza e falta de apetite estão no estágio final da doença.

Transmissão: Através das esporas, freios, professoras e outros arreios contaminados com sangue de animal doente. Também pode ser transmitida pela picada de insetos, principalmente as mutucas. O colostro e o sêmen também podem ser vias de transmissão da doença.

Os animais doentes ficam com impedimento no trânsito (dentro e fora do estado) e da participação em vaquejadas, feiras e exposições.

Não compre equídeos sem que tenham exame negativo para AIE. Os exames possuem validade de 60 dias. Não permita que equídeos sejam estabulados ou transitem por sua propriedade ou parque, sem estarem acompanhados do exame de AIE negativo.

O sangue só pode ser coletado por médico veterinário credenciado pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento e os exames só podem ser realizados em laboratórios credenciados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.